Conecte-se a nós

CRÍTICA | “Vai Que Cola 2: O Começo” mostra humor leve e menos caricato que o primeiro filme

Foto: Divulgação

CRÍTICA

CRÍTICA | “Vai Que Cola 2: O Começo” mostra humor leve e menos caricato que o primeiro filme

“Vai Que Cola” ganhou um novo capítulo nas telonas: “o começo”. Esse segundo filme, como o nome diz, conta como os personagens mais carismáticos se conheceram, mostrando como foi fundada a pensão da Jô(Catarina Abdala). Nós conferimos o longa e nesse artigo falaremos sobre o que achamos da produção. Prepare-se, pegue sua pipoca, acomode-se na cadeira e me acompanhe.

O primeiro filme (2015) contou praticamente apenas a história de Valdomiro Lacerda (Paulo Gustavo). Já essa prequela que assistimos narra como foi o encontro de Ferdinando (Marcus Majella), Jéssica (Samantha Schütz), Maícol (Emiliano D’Ávila), Terezinha (Cacau Protásio) e é claro, a Dona Jô (Catarina Abdalla), que se conheceram no Méier e no Morro do Cerol durante a festa de recepção do sempre citado Tiziu (Fábio Lago). Essas cenas fazem da primeira parte do filme e revela o plot principal da comédia, por varias vezes ri das tiradas na hora errada de Máicol e das diálogos lacradores de Ferdinando.

ALGUMAS RESPOSTAS

O filme também responde varias perguntas ao mostrar como foi fundada a pensão da Dona Jô, quem é o famoso Tiziu, como a crinca Velna (Fiorella Mattheis) foi morar lá e outras questões que podem ter feito os fãs da série ficar com a pulga atrás da orelha.

MUITA PIADA E POUCA HISTÓRIA?

O roteiro de César Rodrigues, Fernando Caruso, Leandro Soares, Fil Braz, Luiz Noronha, Luiza Prado e Pedro Tomé se perde um pouco no inicio da segunda parte quando tenta adicionar um drama, suspense e forças sobrenaturais, não sei se isso se dá pelo número de pessoas que roteirizaram. Eu tive que googlar e pegar uma cola da ficha técnica! Mas se tratando da proposta do filme e que por ser uma comédia, sabemos que a narrativa não iria ser o ponto forte e sim o humor. SIM, O FILME FAZ RIR, E MUITO! Nisso ele funciona muito bem.

REFERENCIAS REFERENCIAS, MUITAS REFERÊNCIAS.

Se você é daquele que gosta de easter egg ou de procurar referências nos filmes e séries vai amar “Vai que Cola 2: O Começo”. “Martix”, “O Rei Leão”, Carminha (de Avenida Brasil) são alguns exemplos além da participação do Sergio Mallandro como… bem, melhor você assistir e rir do que pegar um spoiler aqui né ; )

VALDOMIRO FAZ FALTA?

Os críticos próximos a mim se perguntavam se o filme funcionaria bem sem a participação do Paulo Gustavo, bom na humilde opinião deste que vós escreve o filme funciona MUITO MELHOR SEM ELE. Paulo é um artista de talento inquestionável, mas é fato que o filme ficou mais dinâmico sem as passagens caricatas do humorista.

MINHAS CONSIDERAÇÕES

Um alto investimento no longa é justificado pela elevada qualidade da produção, a direção de fotografia e de arte estão de parabéns por entregarem belas cenas com um excelente jogo de luzes, que não faz feio perto das produções hollywoodianas. Como mencionei, o filme é uma comédia e tem uma pitada de exagero, logo não posso levar tão a serio assim o desencadear dos eventos, mesmo como crítico seria muita maldade no coração de uma pessoa levar o roteiro tão a serio uma vez que a promessa básica desse filme é nos divertir e fazer rir e isso ele cumpre bem.

 

Nota do crítico

Continue lendo
PUBLICIDADE
Você também pode gostar

Mais sobre CRÍTICA

PUBLICIDADE

TRENDING

POP Mais no #Twitter

Topo